quinta-feira, 27 de junho de 2013

MMA#1 Lendários do MMA - Fedor Emelianenko


Fedor "The Last Emperor" Emelianenko sem duvidas, esse cara e uma lenda viva do MMA!

Biografia    
  Fedor é o segundo filho de Olga Fiódorovna e Vladimir Alexandrovitch Emelianenko. Nasceu na União Soviética mais precisamente na região da atual Ucrânia e aos dois anos de idade junto a seus pais e sua irmã mais velha, Marina, mudou-se para a cidade de Stary Oskol, no Oblast de Belgorod, cidade hoje pertencente a Rússia.
  O seu interesse por esporte de combate começou com o judô e o sambo. Em 1991 terminou a escola e entrou na faculdade a qual termina em 1994. De 1995 até 1997 serviu ao Exército Russo, onde continuou o seu interesse pelo desporto de combate. Em 1999, casou-se com Oksana, e no mesmo ano nasceu sua primeira filha, Em 2006, rompeu com sua esposa e começou uma nova família com sua namorada Marina. Em 29 de dezembro de 2007, sua segunda filha nasceu, Vassilissa.

Carreira
  
Total33 Vitórias4 Derrotas
38 lutasNocaute93
Submissão161
Decisão80
Empate0
Sem competição / resultado1
 RINGS
  Emelianenko fez sua estréia no MMA para a organização japonesa RINGS. Este evento tinha um conjunto diferente de regras que não permitiam que atingisse a cabeça no chão. No RINGS, Emelianenko sofreu sua primeira derrota no esporte, uma forma muito controversa contra Tsuyoshi Kohsaka, 22 de dezembro de 2000, por interrupção médica devido a um corte com 17 segundos de luta. O corte foi causado por uma cotovelada, golpe que é ilegal nas regras do evento. Emelianenko disse que essa cotovelada reabriu um corte sofrido em sua luta anterior contra Ricardo Arona.

  Pride Fighting Championships


   No dia 16 de março de 2003, no Pride 25, Emelianenko se tornou campeão dos pesados do Pride ao vencer o brasileiro Antônio Rodrigo Nogueira. Lutou três vezes no Pride, vencendo todas no primeiro assalto, antes participar do Pride Heavyweight Grand Prix 2004.Emelianenko estreou no Pride 21, 23 de junho de 2002, contra o holandês Semmy Schilt, um striker de 2,11 m, luta em que o russo venceu por decisão unânime. Em seguida, venceu Heath Hering, o que o credenciou a disputar o cinturão peso-pesado do Pride.

  Pride Heavyweight Grand Prix 2004

   Nesse GP, Emelianenko venceu respectivamente Mark Coleman, Kevin Randleman, Naoya Ogawa, e na final enfrentou novamente Rodrigo Minotauro. Esta luta foi dada como sem resultado, após o brasileiro desferir uma cabeçada acidental no russo, uma nova luta foi marcada meses depois, e assim como a primeira luta entre eles, Emelianenko venceu por decisão unânime.

  Anos seguintes no Pride

Em seguida, no Pride Final Conflict 2005, Emelianenko conseguiu uma das maiores vitórias da carreira contra o kickboxer croata, Mirko Filipović por decisão unânime.Após vencer o GP dos pesados do Pride, Emelianenko conseguiu a revanche contra o único lutador que tinha conseguido, até então, vencer o russo, o japonês Tsuyoshi Kohsaka. Emelianenko dominou a luta, e venceu por nocaute técnico após a intervenção médica.

  Affliction

No evento inaugural do Affliction, o Affliction: Banned, Emelianenko derrotou o duas vezes campeão peso-pesado do UFC, Tim Sylvia, por finalização em apenas 36 segundos do primeiro round e se tornou o primeiro campeão peso-pesado do World Alliance of Mixed Martial Arts (WAMMA).
Em sua luta seguinte no Affliction, Emelianenko defendeu seu cinturão contra o ex-campeão peso-pesado do UFC, Andrei Arlovski, no Affliction: Day of Reckoning. Emelianenko nocauteou no primeiro assalto Arlovski, após o lutador bielorrusso tentar uma joelhada voadora.

 Strikeforce

  Após o Affliction falir, Emelianenko foi para o Strikeforce. Em 7 de novembro de 2009, o lutador russo estreou com uma vitória por nocaute no segundo assalto contra o lutador norte-americano Brett Rogers.
  Após essa luta, Emelianenko enfrentou o brasileiro faixa-preta de jiu-jitsu brasileiro Fabrício Werdum. O lutador russo era o grande favorito, porém Werdum conseguiu finalizar Emelianenko no primeiro assalto com um triângulo, quebrando uma invencibilidade de dez anos.
  Sete meses após a derrota para Werdum, Emelianenko voltou aos ringues da franquia em 13 de fevereiro de 2011, enfrentando outro brasileiro, Antônio Silva, o Pezão, em luta válida pela primeira fase do GP dos pesos-pesados do Strikeforce. Após um primeiro round equilibrado, em que dois dos árbitros marcaram 10 a 9 para o russo e outro marcou o mesmo placar para o brasileiro, Emelianenko foi amplamente dominado no segundo round. Pezão conseguiu derrubá-lo logo nos primeiros segundos do round e trabalhou a posição durante os cinco minutos, acertando dezenas de socos e tentando várias finalizações. Todos os árbitros pontuaram 10 a 8 para o brasileiro, tamanho o domínio. Com o olho direito completamente fechado, o médico impediu que Emelianenko voltasse para o terceiro round e Antônio Silva foi declarado vencedor por TKO.
  Na entrevista após a luta, Emelianenko cogitou a aposentadoria. "Algo deu errado desde o início da luta e eu não consegui corrigir. Talvez seja a hora de partir. É, talvez esta tenha sido a última vez. Talvez seja a hora. Obrigado a todos por tudo. Tive uma grande, bela e longa carreira esportiva. Talvez seja a vontade de Deus que eu pare". No entanto, seu contrato ainda previa mais uma luta e Emelianenko optou por cumpri-lo.
  Essa segunda derrota seguida de Emelianenko agradou seu desafeto Dana White. O CEO do UFC, a maior franquia de MMA do mundo, não disfarçou a alegria em ver o russo ser derrotado novamente. Minutos após a derrota de Emelianenko, White postou em sua conta do Twitter apenas um smile, seguido de uma crítica direta ao M-1, organização que gerencia a carreira do russo, ao falar "M-1 = M - acabada". Os problemas entre os dois se devem ao fato de Emelianenko ser considerado o único grande lutador de MMA da história que nunca lutou no UFC, pois ele e White nunca chegaram a um acordo para que isso acontecesse.
Recentemente, o site Sherdog o elegeu como o maior peso-pesado de todos os tempos  e o maior lutador da década .



Luta luta